JPCN Blog
Live
wb_sunny

Breaking News

Atores de Hollywood entram em greve e paralisam atividades

Atores de Hollywood entram em greve e paralisam atividades

Sindicalizados não podem promover próximos filmes e séries ou participar de eventos com fãs

JPCN.Blog
Ao centro, a presidente do SAG, Fran Drescher Foto: EFE/EPA/ETIENNE LAURENT

O Screen Actors Guild (SAG-AFTRA, Sindicato dos Atores e Federação Americana de Artistas de Televisão, em português), associação que representa mais de 160 mil profissionais do audiovisual nos Estados Unidos, incluindo seus principais atores e atrizes, entrou em greve.


O sindicato anunciou na quinta-feira (13) que as negociações para a renovação do acordo coletivo de trabalho com a Alliance of Motion Picture and Television Producers, que representa os estúdios de Hollywood, terminaram sem sucesso.


– O SAG-AFTRA negociou de boa-fé e estava ansioso para chegar a um acordo, mas as respostas da AMPTP às propostas mais importantes do sindicato foram insultantes – disse a presidente do sindicato, Fran Drescher, em um comunicado publicado no site oficial do sindicato.


O sindicato, que representa mais de 160 mil atores, incluindo estrelas como Meryl Streep e Jennifer Lawrence, anunciou que, pela manhã, a diretoria nacional do sindicato realizou uma reunião para aprovar formalmente o início de uma greve que poderá paralisar todo o setor de Hollywood.


A última vez que os atores entraram em greve contra os estúdios foi em 1980 devido aos lucros das fitas de videocassete e da TV por assinatura, que duraram três meses.


Juntando-se aos bloqueios que o Sindicato de Roteiristas (WGA) iniciou em frente aos escritórios dos estúdios em 2 de maio, terá início uma greve simultânea pela primeira vez em 63 anos.


A única vez em que os dois sindicatos ficaram sem trabalhar ao mesmo tempo foi em 1960, e com essa luta eles obtiveram benefícios como acesso a seguro-saúde e pensão. Mas foi a greve de 100 dias liderada pelos roteiristas em 2007-2008 que lançou as bases para o conflito atual, concentrando a maioria das discussões no pagamento pelo conteúdo distribuído pela Internet


Agora, as demandas de ambos compartilham semelhanças em questões como melhores condições de trabalho, pagamento justo de royalties residuais de plataformas de streaming e transparência no processo de cálculo desses valores, bem como regulamentação do uso de inteligência artificial (IA).


– A AMPTP se recusou a reconhecer que as enormes mudanças no setor e na economia tiveram um impacto prejudicial sobre aqueles que trabalham para os estúdios – disse a presidente.


Os líderes sindicais mantiveram conversas com a aliança, que negocia em nome dos estúdios e das grandes redes, como Amazon, Apple, Disney e Netflix, desde 7 de junho.


Apenas um dia antes do prazo final, o SAG-AFTRA anunciou que aceitou uma reunião proposta pelos estúdios de Hollywood e plataformas de streaming, juntamente com mediadores federais.


No entanto, eles mostraram a ruptura entre os dois lados ao declarar que entrariam em greve se um acordo não fosse alcançado até as 23h59 de quarta-feira (12) pelo horário de Los Angeles.


O pedido de emergência buscou usar agentes neutros para resolver o impasse, mas o sindicato acusou a AMPTP de “abusar” de sua confiança ao vazar a proposta de incluir mediadores federais para a imprensa antes que eles tivessem conhecimento dela.


Sem os atores, as produções cinematográficas e televisivas que conseguiram se manter apesar da greve dos roteiristas podem ser forçadas a desacelerar suas atividades. Os atores também não podem promover os próximos filmes e séries ou participar de reuniões com os fãs, e a situação poderia levar a uma onda de cancelamentos de coletivas de imprensa, tapetes vermelhos e até mesmo ao adiamento de cerimônias de premiação, como o Emmy ou a San Diego Comic-On.


*AE com agências internacionais

Tags

Newsletter

Não perca nenhuma novidade; acesse agora, e receba as notícias em primeira mão.

Postar um comentário

Obrigado por comentar! 😉✌