IA falsifica documentos e consegue enganar até verificação usada por bancos

Site diz usar "redes neurais" para criar imagens de documentos. Corretora de cripto aceitou carteira de habilitação falsa na hora de abrir conta.


As informações são de uma reportagem do site 404 Media. Para criar uma carteira de motorista falsa do estado da Califórnia (EUA), a reportagem só precisou de uma foto de passaporte e preencher os dados desejados. Até a assinatura é gerada automaticamente.


O resultado foi uma imagem criada com inteligência artificial. Ela simula o documento falso sobre um carpete, como se a pessoa tivesse o colocado ali para tirar uma foto e enviar para um processo de verificação.

Alsorsa.News
Site também falsifica fotos de passaportes usando IA (Imagem: Luke Littlefield/Unsplash)

Além de carteiras de motorista da Califórnia, o site oferece carteiras de motorista do Arizona (EUA), passaportes da Suíça e do Canadá e documentos de identidade da Áustria, entre outros.


O serviço vai além e pode até mesmo trocar os metadados da imagem. Assim, uma inspeção encontraria informações coerentes com o documento falsificado. A imagem da carteira de motorista falsa da Califórnia, por exemplo, vem com dados de GPS de uma localização no próprio estado.


A tecnologia de inteligência artificial usada na falsificação vem sendo desenvolvida há três anos, segundo o dono do site. Para conseguir criar os modelos, os criminosos procuraram imagens escaneadas dos documentos em altíssima resolução, como 10.000 x 10.000 pixels. Além disso, eles tentavam obter vários ângulos, para entender como as imagens holográficas eram feitas.


Documentos falsos enganam empresas

Como o resultado da falsificação é apenas uma imagem e não um documento físico, as possibilidades de uso são limitadas. Mesmo assim, o dono do site diz ser viável burlar serviços online, como bancos, corretoras de criptomoedas e até plataformas de aluguel de imóveis.


Nos testes da 404 Media, foi possível criar uma conta na casa de cripto OKX usando um passaporte britânico falso. O aplicativo da OKX pede para tirar uma foto do documento usando a câmera do smartphone. A reportagem tirou uma foto da imagem do documento falso na tela do laptop. O sistema de verificação aceitou.


Questionada pela publicação, a Jumio, empresa responsável pela verificação de identidade, disse usar processos de verificação avançados e checagem de informações para fraudes, mas não quis comentar o caso específico. A OKX não respondeu ao pedido da reportagem.


*Tecnoblog /Com informações: 404 Media