Mark Zuckerberg volta ao top 10 dos mais ricos após ganhar R$ 14 bi em um dia

A fortuna de Zuckerberg é estimada em US$ 103 bilhões, de acordo com a Bloomberg

Alsorsa.News
Desde o começo do ano, o patrimônio do bilionário avança em mais de US$ 57,1 bilhões (Meta/Divulgação)


O americano Mark Zuckerberg, da Meta, voltou ao clube das 10 pessoas mais ricas do mundo nesta quinta-feira, 15, ao ver a sua fortuna aumentar em US$ 3 bilhões, cerca de 14,5 bilhões de reais.


A movimentação acompanha a alta nas ações da Meta, controladora do Facebook, Instagram e WhatsApp, e origem da maior parte da fortuna do executivo. Os papéis subiram 3% após o Fed, o banco central americano, interromper o ciclo de alta da taxa de juros.


O resultado coloca o executivo de volta também ao seleto grupo com fortunas avaliadas em mais de 100 bilhões de dólares. De acordo com o ranking de bilionários da Bloomberg, os recursos de Zuckerberg são projetados em US$ 103 bilhões.


Desde o começo do ano, o patrimônio do bilionário avança em mais de US$ 57,1 bilhões, evolução positiva das ações da Meta com alta de quase 130%. Ele detém 13% de participação na companhia.


Os números contrastam com os registrados no ano passado, período que Zuckerberg encerrou com perdas de mais de US$ 80 bilhões. Na ocasião, ele caiu para a 25ª posição.


A virada de chave

A mudança no ânimo dos investidores em relação à Meta estão relacionadas aos resultados que a empresa apresentou nos últimos dois trimestres - o último de 2023 e o primeiro de 2023, com a receita e o lucro crescendo acima das projeções do mercado – embora abaixo dos resultados em exercícios anteriores.


Também foram bem recebidas as ações da Meta para reduzir os custos da operação, incluindo os planos de demissão.


Além disso, o bom momento está em linha com a projeção de que a companhia deve registrar alta no volume de vendas de anúncios em torno de 8% neste ano. Para 2024, o Meta trabalha com expansão de 11%.


*Exame