Hotmart compra plataforma de transcrição e tradução com IA

A Hotmart — a plataforma usada para a venda de produtos digitais como cursos online — acaba de adquirir uma startup que usa inteligência artificial para ajudar na transcrição de vídeos e na aplicação de legendas. Ao comprar a Reshape, a Hotmart está dobrando sua aposta no impacto transformacional que a IA terá para a creators economy.

Foto: Hotmart 

“Olhamos diversas soluções, e ninguém faz uma transcrição de vídeo melhor do que a Reshape,” o CEO da Hotmart, João Pedro Resende, disse ao Brazil Journal. “A transcrição deles é melhor que os serviços do Google, Amazon e Microsoft.”


Para a Hotmart, a transcrição dos vídeos é importante por dois motivos: para aplicar as legendas e traduzir o vídeo para outro idioma, o que aumenta muito o mercado endereçável do conteúdo de seus clientes; e, ainda mais importante, para alimentar seus modelos de IA. 

“Para ter bons modelos uma das coisas mais importantes é o que você coloca dentro desse modelo,” disse o CEO. 

“Um dos nossos produtos em beta é o Hotmart Tutor, que entende tudo que o creator publica na sua área de membros, aprende com aquilo, e se torna uma cópia do creator para conversar com seus clientes. Mas para ele funcionar bem, a transcrição dos vídeos que na área de membros precisa ter uma qualidade muito boa.” 

A Reshape foi fundada em 2018 por Bernardo Porto, um velho conhecido de João. Bernardo empreende desde 2010 em Belo Horizonte – a mesma cidade dos fundadores da Hotmart.  Depois que sua primeira startup, a DeskMetrics, foi adquirida por uma empresa canadense, Bernardo foi trabalhar na Hotmart como head de produtos, onde ficou quatro anos até fundar a Reshape. A Hotmart já era um investidor seed da Reshape, juntamente com Diego Gomes, o fundador da RockContent


A compra da Reshape vai ser paga em dinheiro e ações. O valor da aquisição não foi revelado. Bernardo e Márcio Tanure, o outro fundador, se tornarão executivos da Hotmart — o primeiro será o head de IA; o segundo, um head comercial.  Até aqui, a Reshape operava num modelo de assinatura, vendendo sua solução para companhias de conteúdo, incluindo a Hotmart, que era um cliente importante. Com a venda, a Reshape vai manter esses contratos até o final das assinaturas, mas depois a marca deixará de existir e sua tecnologia se tornará uma feature da plataforma da Hotmart.  O CEO da Hotmart disse que a aquisição faz parte de um entendimento de que a inteligência artificial terá um impacto brutal na creators economy

“Essas IAs generativas afetam todo o modelo de produção de conteúdo,” disse ele. “Se antes você precisava de um esforço X para editar um vídeo, legendar, ou para produzir um texto, hoje esse esforço é 10, 20 vezes menor.”


Ele diz ainda que a IA generativa não apenas torna os creators mais produtivos como também cria uma nova onda de creators. “Pessoas que não conseguiam entrar nesse mercado antes agora estão conseguindo.” Segundo ele, a Hotmart tem sentido um aumento no número de creators na plataforma e na quantidade de conteúdos criados — que ele atribui à popularização da IA generativa.  A transação de hoje vem cerca de três anos depois da Hotmart ter feito sua última rodada de capital, quando levantou US$ 130 milhões numa captação liderada pelo fundo americano TCV. João Pedro disse que a startup não tem necessidade de mais capital, pois gera caixa desde o início da operação.  

“Se fôssemos fazer alguma rodada seria para trazer algum investidor muito estratégico para o cap table,” disse ele, acrescentando que não considera um IPO no curto prazo.


*Brazil Journal